quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Diário de Classe


Vemos mais uma vez: é tempo de leitores que nos esmaguem, nos estraçalhem, nos corroam, nos esgotem, nos embriaguem e que tenham ternura, apesar de...

O olhar de Isadora Faber faz parte desse elenco. Você pode ler também com Gilberto Dimenstein.

Cumprimentos efusivos da RELer&fazer.

Santinho Souza

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Roda de leitura


A leitura entra na roda realiza encontro na Biblioteca Pública do Espírito Santo.

Eu e Bebu na hora neutra da madrugada de Rubem Braga

Leitor-guia: Santinho Souza
29 de agosto, quarta-feira, às 19h
Biblioteca Pública do Espírito Santo
Av. João Batista Parra, 165
Praia do Suá - Vitória


Não dou conta de outro modo senão reafirmar o que sempre disseram e continuam a dizer de Rubem Braga: um cronista de mancheia. Suas crônicas não envelhecem, porque sempre retardam o esquecimento do que foi e provocam um encontro com o que pode ser. Estão nelas frestas de um dia a dia em que ora essas gargalham, ora se fazem fantasmas, ora madrugam, ora estão ensolaradas.
A propósito das crônicas que madrugam e, por isso, têm como ponto de encontro a hora neutra, vinha lendo numa viagem ao interior daqui, de meu  Espírito Santo – sou do mesmo estado dos Braga, para não dizer que os Braga é que são do meu –, quando a luz que iluminava minha poltrona se foi. Era sábado, não o da crônica, mas era um dia de noite fechada, que me fez confirmar que “às escuras, todos os gatos são pardos”, e o ônibus rolava estrada acima. Fui interrompido no ponto em que Bebu e Rubem (não o Braga, mas o Rubem interlocutor de Bebu) estavam conversando sobre a importância de Deus: “– Não amole. Você sabe a minha história. Fiz uma revolução contra Deus. Perdi, fui vencido, fui exilado; nunca tive nem implorei anistia. Deus me venceu para todos os séculos, para a eternidade. É o prefeito eterno, ninguém pode fazer nada. Agora [...]” Só vi a vírgula, nada mais.
Acabei de ler a crônica num outro momento. Eu e Bebu na hora neutra da madrugada - Julho, 1933 compõe o livro O pé de milho.
Se quiser saber um pouco mais de Rubem Braga, ande com ele pelo que escreveu: 200 crônicas escolhidas (Record, 2005) é um bom começo. Pode ser também por aqui ou por aqui. Ainda outro aqui.
Santinho Souza         

sábado, 25 de agosto de 2012

Leitura e Cinema

A leitura vai ao cinema dá início a sua programação com Fahrenheit 451 no Cine Metrópolis da Ufes.

Os "bombeiros" de um estado totalitário têm como função principal queimar qualquer tipo de material impresso, especialmente os textos literários, pois a leitura propaga a infelicidade humana. Montag (Oskar Werner), no entanto, passa a questionar essa linha de pensamento, quando, numa ação de que participa, vê uma mulher preferir ser queimada com sua vasta biblioteca a permanecer viva.

Exibido o filme, será realizada uma roda de conversa.

Participe.



27 de agosto de 2012
19h
Cine Metrópolis
Campus Universitário de Goiabeiras - Ufes

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

RadioLeitura e a diversidade na leitura

O RadioLeitura de 19 de agosto de 2012 contou com a participação da professora Maria Amélia Salgueiro e do universitário El-Buainin Nunes num diálogo sobre as contribuições de Roger Chartier e leituras.

O programa RadioLeitura vai ao ar todos os domingos, pela Universitária FM 104.7, às 9h30.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Roda de leitura

A leitura entra na roda realiza encontro no Centro de Vivência da Ufes.

O jardim das delícias de Bernadette Lyra
Leitor-guia: Santinho Souza
23 de agosto, quinta-feira, das 13h30 às 14h20
Sala de Educação e Direitos Humanos - andar superior do Centro de Vivência
Cadeiras: 15.


Sete velhos sentados na doçura da tarde. São dois homens e cinco mulheres.
FINOS PEIXES ATRAVESSAM OS LADRILHOS DO TANQUE
               ALGUNS FLAMBOYANTS COMEM SOL

NO AR LEVE UMA POMBA RECORTA DE BRANCO A PEDREIRA
ENTRE AS FENDAS APARECE CURIOSA A CABEÇA DE UM CAMALEÃO

PARASITAS DE CETIM ROSADO DEPENDURAM-SE PELOS VEIOS DA PEDRA
O SOL ROLA DELICADAMENTE PELO CHÃO DE BLOCRETES

De repente um anjo negro de calça Lee suada, asas como veludo e o zíper da jaqueta brilhando mais que a luz de mercúrio, vai saltar de sua moto. Com rajadas de metralhadora vai estraçalhar toda suavidade desses deuses de plástico. O sangue vai gorgolejar nos bueiros e os pedaços de ossos vão dançar nas calçadas até que a cidade diga oh! com o vidro da alma tomado por um alucinado terror.

LYRA, Bernadette. O jardim das delícias. O jardim das delícias. Vitória : FCAA/Ufes, 1984. p. 15-17

Seja bem-vind@!

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

ALMANAQUE DO AGENTE DE LEITURA


O Almanaque do Agente de Leitura traz essencialmente experiências de leitura: esses movimentos nos levam a variados cenários: o livro, a canção, o filme, a dança, o teatro, a pintura, o gesto. E podem nos trazer de volta para o mesmo cenário, que poderá nos conduzir a outras vozes. O que conta é a necessidade que passamos a ter de encontro com o Outro, tida a primeria experiência.

Almanaque do Agente de Leitura
2012 / brochura / 19,5 x 25,5cm / 204 páginas
Eliana Yunes e Nilza Rezende (orgs.)

Essa é uma notícia da Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Momento CÁPSULA

Imaginar é mais importante do que conhecer.
                                                      Albert Einstein

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

lendo.org

André Gazola, professor de Língua Portuguesa e Literatura, criou, quando ainda era estudante de Letras em 2006, o blog lendo.org. Vale a pena acessar e curiosar.

Contribuição: El-Buainin Vieira Machado Nunes.

Cinema francês em 33 cidades brasileiras

O Festival Varilux de Cinema Francês 2012 está em curso, com estreia ontem e movimentação até o próximo dia 23: 17 filmes em mais de 45 cinemas distribuídos em 33 cidades de todo o país.

Confira aqui.

A todos, merci, bons filmes e bom festival!
                              CHRISTIAN BOUDIER

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Poesia de origem capixaba

Ter contato pela primeira vez com a poesia capixaba ou revisitá-la é a sugestão que a RELer&fazer indica a seus leitores como alternativa de boa prosa. De pronto e de face, o Frade e a Freira; no conjunto dos textos, pode-se ver sua distribuição na ordem das letras ou na organização em cada um dos municípios do estado do Espírito Santo. O caminho ganha bom percurso na combinação de X e Y.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Leitura em Revista


Aos 2 dias deste mês de agosto, foi dado destaque a que a Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio tem suas trilhas recheadas de novidades. LER - Leitura em Revista  faz parte desse conjunto de boas referências e já está na sua quarta edição.

Clássicos recontados


Os clássicos literários são conduzidos a dar passagem a novos leitores. É ao que dá destaque matéria de Rafael Braz veiculada em A Gazeta online de hoje. Confira aqui.

sábado, 11 de agosto de 2012

RadioLeitura e diferentes aspectos da leitura

Ouça a seguir o programa RadioLeitura de 10/06/2012, que trabalhou a importância e os significados da leitura sob diferentes ópticas, ouvindo diferentes pensadores.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

RadioLeitura e radioescola

O RadioLeitura de 29/07/2012 recebeu as coordenadoras e também alguns dos estudantes que integram o Projeto Radioescola desenvolvido pela equipe de mobilização estudantil da secretaria de educação de Vitória. Esse projeto envolve 18 escolas públicas da capital.

Momento CÁPSULA

Elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado sutil de se deixar distinguir.
                                                                                                                          Paul Valéry

Tatiana Feltrin e o ato de ler

Tatiana G. Feltrin conta sua experiência como leitora no canal "TINY little ThInGs" do youtube.com : referencia livros que tem lido em cada mês, dá dicas de leitura, tanto nacional quanto estrangeira, interage com  os que a acompanham - são mais de 5000 inscritos - em diversas discussões, trocando informações e levantando questionamentos acerca do que foi lido e do próprio ato de ler. São mais de 180 vídeos produzidos.Vale a pena conferir neste canal.

Contribuição: El-Buainin Vieira Machado Nunes

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

RadioLeitura e pesquisa

A edição de 17/06/12 abordou resultados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil.


Programa RadioLeitura, apresentado pelo professro Santinho Souza, vai ao ar, sempre aos domingos, na Universitária FM 104.7.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Caetano Veloso e seu aniversário de setenta anos


Caetano Velos completa 70 anos, fazendo uso de boa parte desse tempo decorrido com a oferta de música e de poesia, ambos os recortes de qualidade reconhecida. Bastam duas referências:  Língua e Livros. Uma análise da primeira música tem a autoria de Diego Agnelo. Livros tem registro encenado no Real Gabinete de Português de Leitura - Rio de Janeiro. Veja-se que, nessa gravação em vídeo, Caetano lê excerto de Le rouge et le noir (O vermelho e o negro) de Stendhal:

Ici, dit-il avec des yeux brillants de joie, les hommes ne sauraient me faire de mal. Il eut l'idée de se livrer au plaisir d'écrire ses pensées, partout ailleurs si dangereux pour lui. Une pierre carrée lui servait de pupitre. Sa plume volait [...] Pourquoi ne passerais-je pas la nuit ici? se dit-il; j'ai du pain, et je suis libre! [...]

Au son de ce grand mot son âme s'exalta [...] Mais une nuit profonde avait remplacé le jour, et il y avait encore deux lieues à faire pour descendre au hameau habité par Fouqué. Avant de quitter la petite grotte, Julien alluma du feu et brûla avec soin tout ce qu'il avait écrit.

Este é o texto completo:

– Ici, dit-il avec des yeux brillants de joie, les hommes ne sauraient me faire de mal».
Il eut l'idée de se livrer au plaisir d'écrire ses pensées, partout ailleurs si dangereux pour lui. Une pierre carrée lui servait de pupitre. Sa plume volait: il ne voyait rien de ce qui l'entourait. Il remarqua enfin que le soleil se couchait derrière les montagnes éloignées du Beaujolais.
– Pourquoi ne passerais-je pas la nuit ici ? se dit-il; j'ai du pain, et je suis libre!


 

E a tradução pode ser assim:

"Aqui", disse ele com os olhos brilhantes de alegria, "nenhum homem me poderia fazer mal". Teve a ideia de entregar-se ao prazer de escrever os seus pensamentos, o que lhe era tão perigoso em qualquer outro lugar. Uma pedra quadrada lhe servia de mesa. A pena voava: ele não via nada do que o cercava. Notou por fim que o Sol se deitava por trás das montanhas longínquas do Beaujolais.
"Por que não hei de passar a noite aqui", pensou ele. "Tenho pão e sou livre".

O restante do capítulo pode ser lido por aqui, se for de gosto e de prazer.

domingo, 5 de agosto de 2012

Erro técnico na transmissão do RadioLeitura deste 5 de agosto

O programa RadioLeitura foi ao ar neste domingo com transmissão do programa Multiculturarte em lugar do previsto, em decorrência de problemas técnicos em nível da Universitária 104.7 fm.

Como noticiado pela imprensa, a FCAA foi ocupada por grevistas da Ufes na sexta-feira e houve queda de energia no local e em e boa parte do campus de Goiabeiras. O ocorrido gerou problemas nos arquivos radiofônicos.

Ficam registradas nossas desculpas.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

RadioLeitura

O programa RadioLeitura vai ao ar no domingo, 5, com a participação da professora Drª Maria Amélia Dalvi Salgueiro.

Amélia Salgueiro  vem desenvolvendo pesquisa bibliográfico-documental de orientação teórico-metodológica concernente à História Cultural na mesma perspectiva de como Roger Chartier compreende esse tema.
Seu objetivo é mapear práticas, representações e apropriações da leitura literária e da literatura no Espírito Santo, especialmente as viabilizadas e/ou contrafeitas por materiais didáticos quer tenham sido, quer não tenham sido produzidos explicitamente para esse fim. A pesquisadora não tem preocupação com construir uma história linear e cronologicamente organizada desses movimentos de práticas, representações e apropriações da leitura.
Maria Amélia tem vínculo funcional com o Centro de Educação da Ufes e atua na graduação de Letras, na graduação de Pedagogia e no programa de pós-graduação em  Estudos Literários.
A conversa com Maria Amélia será conduzida por El-Buainim Vieira Machado Nunes, estudante da graduação em Letras-Português e aluno-pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Leitura e da RELer&fazer.


RadioLeitura
Todos os domingos, às 8h, na Universitária FM 104.7
Apresentação: Santinho Souza


Luiz Alberto Mendes: do semianalfabetismo e da prisão ao prêmio Jabuti

Luiz Alberto Mendes nasceu, em 4 de maio de 1952, em São Paulo. Jovem ainda, foi condenado a mais de 100 anos de prisão, dos quais cumpriu 32. Semianalfabeto, seu envolvimento com a leitura se deu pelo ouvido: a história de Jean Valjean lhe foi contada através do encanamento da solitária: 

E o cara começou a contar história e eu não gostava, mas só tinha o cara pra conversar. E aí conversando, aí daqui a pouco ele começou a contar uma história de livro que me interessou. E o primeiro livro que ele me contou foi os “Os Miseráveis", do Victor Hugo. Livrão, que eu sei é dessa grossura assim, setecentas e cacetadas de páginas. Ele me contou em episódios porque não podia conversar, era só de madrugada. 

Siga essa história com o Museu da Pessoa. Luiz Alberto Mendes também conversou com Antônio Abujamra em Provocações da TV Cultura aos 12 de junho de 2010. Em Letras e Leituras, pode-se saber um pouco mais sobre seu percurso. Adriana Ferrari da Biblioteca de São Paulo, por sua vez, nos faz conhecer um outro lado da moeda: 

[...] a transformação da extinta Casa de Detenção de São Paulo no Parque da Juventude e a produção literária que explora relatos sobre o sistema carcerário, abordada através de depoimentos de Bonassi, co-roteirista do filme Carandiru, e Luiz Alberto Mendes, que ficou detido por mais de 30 anos e transformou sua experiência na prisão em literatura.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

"Frase do dia", uma das trilhas da Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio

A Cátedra Unesco de Leitura PUC-Rio tem suas trilhas recheadas de novidades. A RELer&fazer percorreu uma delas e, à medida que o ato de leitura se desenvolvia, seu ritmo ganhava volume.

Esta rede de leitura convida você para esta jornada: se não leio, não vivo; a leitura me informa e me transforma.   Siga, vá por aqui.

Iluminações Brasileiras - aquarelas de Brigitte Mosser na Aliança Francesa

Brigitte Mosser expõe sua fluidez quimérica na Aliança Francesa em telas organizadas sob o título Iluminações Brasileiras.

No olhar de Jean-Pierre Klein,

 "Brigitte Mosser é exploradora da essência dos fluidos corporais que nos constituem. Trágica da nossa circulação de fluidos, daquilo que nos escapa em constantes movimentos, as trocas que se tramam sem o nosso conhecimento, do que bate dentro, e que colore o nosso interior.

"Tudo que nos encobria torna-se transparente para revelar nossa substância que se move, aquela que funde o nosso verdadeiro ser por trás ou, antes, um pouco abaixo das aparências do nosso corpo.

"Ela configura as quimeras que somos no mais profundo de nós mesmos, feitas de junções imaginárias, que são como outros corpos que nos acompanham, corporeidades de tão reais como aquela que acreditamos ser a nossa identidade física.

"Esses fluxos, estas correntes que definem a nossa pele interior que parece ter dificuldade em contê-los, só se podem empreender no voo.

"Entretanto, aí está avida, com sua violência e suas ternuras, suas secreções, sua exsudações, suas umidades.

"A mulher aí se reconhece mais do que o homem, que se quer matéria espessa. Ele passa ao largo de todos os odores, os eflúvios, os sabores, as suavidades, os bouquets que resumem em um perfume as essências complexas que a compõem e em que ele poderia se reconhecer, se se abrisse um pouco à sua feminilidade secreta e as seus avatares oníricos.

Brigitte Mosser dá conta das intimidades, essas impressões carnais, mais sensações efêmeras que percepções conscientes, e que são indizíveis e não partilháveis, ainda que se tente, às vezes, dizer a nossos amigos íntimos, a nossos amores íntimos, sem se poder, realmente, comunicar-lhes nossos sentimentos, que sequer conseguimos nomear para nós próprios.

"Ela aflora o tremor de nossas vidas múltiplas, cheias de nossos humores, incluindo aqueles que vagueiam. Náiade dos possíveis do 'espaço interior' e seus 'longiquos interiores' (Henri Michaux)."


Iluminações Brasileiras
Brigitte Mosser
Curador: Clovis Aquino
Crítica: Jean-Pierre Klein

Aliança Francesa
Rua Alaor Queiroz de Araújo, 200
Enseada do Suá
Vitória ES



Biblioteca Pública do Espírito Santo e sua programação do mês de agosto


A Biblioteca Pública do Espírito Santo Levy Cúrcio da Rocha - BPES tem programação variada para este mês de agosto de 2012.

As atividades acontecem no auditório da BPES, localizada na Avenida João Batista Parra, 165, na Praia do Suá, em Vitória ES, exceção feita ao Encontro de Representantes das Bibliotecas Públicas Municipais, que será realizado no auditório do Tribunal de Contas, na Enseada do Suá.

Contatos podem ser feitos pelos números (27) 3137-9351 e (27) 31379349.